Amamentar

O sítio do Aleitamento Materno para cidadãos e profissionais de saúde

  

Durante a gravidez: dúvidas e preocupações
É, actualmente, muito claro que o aleitamento materno é uma capacidade que se aprende, vulnerável a experiências negativas, desconhecimento ou falta de apoio. O aconselhamento em amamentação deverá ser parte importante do seguimento pré natal, já que as dúvidas, as preocupações e as ansiedades são normais.

Ao longo da sua gravidez, inúmeras dúvidas lhe poderão ocorrer no que respeita ao aleitamento materno. Quanto mais próximo da data de parto maiores e mais frequentes serão essas preocupações e essas dúvidas. Você poderá perguntar-se se irá realmente ser capaz de amamentar, o que irá fazer quando voltar para o emprego, se irá ter leite ou se o leite será bom. Pode ficar angustiada com o que irá acontecer e o que deverá fazer quando o seu filho nascer.

É normal que pense em todas estas questões e ainda outras, o que só mostra a sua vontade de amamentar e de ter sucesso. O facto de pensar nelas e se informar previamente já é um passo relevante para que venha a correr melhor ou, pelo menos, estar mais preparada para os problemas e as dificuldades que possam surgir.

Procure apoio e ajuda junto dos profissionais de saúde (médicos, enfermeiros), de grupos de apoio ou de amigas que tenham dado de mamar. Informe-se em livros, encontros, em sítios na Internet, como este. Converse com o seu companheiro e a sua família e observe mães a amamentar. Poderá também encontrar aqui, de forma sucinta, a resposta à maioria das questões que lhe podem ocorrer.

Apenas algumas noções úteis durante a gravidez:

Se você ou o seu companheiro padecem de alergias (asma, eczema, febre dos fenos) poderá ser útil evitar alimentos que possam provocar alergias no bebé. Porém o aleitamento materno exclusivo é muito importante para evitar ou diminuir a gravidade destas alergias;

A aprendizagem da técnica de extracção manual de leite poderá ser útil, e irá aumentar a sua confiança, após o parto, quando necessitar de a usar.
 Imprimir   
Durante a gravidez: cuidados com as mamas e mamilos

O tamanho, a forma ou a simetria das mamas antes da gravidez têm pouco a ver com a capacidade de amamentar. A maior contribuição para a variação de tamanho das mamas é da gordura que rodeia o tecido mamário mas não tem qualquer papel na produção de leite.

Com o decorrer da gravidez as suas mamas irão sofrer alterações, ficando maiores e mais pesadas. A área à volta do mamilo (aréola) ficará mais escura e mais sensível, como consequência da preparação para a produção de leite. Algumas mulheres poderão apresentar uma pele mais sensível, o que não tem importância para o aleitamento materno, e irá resolver-se espontaneamente nas primeiras semanas após o parto. O crescimento das mamas durante a gravidez é um bom indicador de que se estão a preparar para produzir leite

Não é necessário fazer nada de especial para preparar as suas mamas para a amamentação, tal como massagens com cremes, fricções ou expressão de colostro, nem é necessário "endurecer" os mamilos.

Lave os seus seios com água sem sabão (para não remover os óleos naturais da sua pele), durante a sua higiene diária. Utilize um soutien confortável, não apertado.

Algumas vezes os mamilos podem ser pequenos (mamilos rasos) ou até parecerem "puxados" para dentro (mamilos invertidos) parecendo não terem tamanho para o bebé poder mamar bem, para fazer uma boa pega. Na maior parte das vezes, estas configurações não acarretam problemas para o bebé mamar (o bebé mama no peito não no mamilo), podendo apenas e esporadicamente dificultar nos primeiros dias. Também não existe evidência das vantagens de qualquer preparação ou manipulação pré natal dos mamilos.

Os implantes de silicone não impedem ou interferem com o aleitamento materno e não têm impacto no bebé. Igualmente, no caso de redução mamária, a maior parte das mulheres consegue amamentar. No entanto, é possível que nos primeiros dias após o parto seja necessário ajuda devido a alguma dificuldade de produção de leite. Neste caso, deverá dar de mamar de forma frequente, sem restrições e horários, de forma a aumentar a quantidade de leite, evitando leites artificiais que impedirão uma maior estimulação das mamas.

Em resumo:

  • Amamente logo após o parto;
  • Enquanto se encontrar internada, após o parto, solicite o alojamento conjunto, para poder dar de mamar frequentemente e ter mais contacto com o seu filho;
  • Aprenda a ler os sinais do seu filho, particularmente a reconhecer os sinais de fome;
  • Peça que não dêem ao seu bebé chupetas ou biberões, sem sua autorização;
  • Tenha confiança de que o seu leite aumentará nos primeiros dias de vida;
  • Procure ter poucas visitas na maternidade e nos primeiros dias em casa, para ter tempo para si, para o seu filho e para dar de mamar;
  • Procure identificar a quem recorrer depois de ir para casa;
  • Tenha uma bomba para retirar leite, para as várias situações em que serão úteis e procure aprender a usá-la;
  • Tenha em conta que dar de mamar aprende-se e por isso é preciso dar tempo.
 Imprimir   
Pesquisa

Estatísticas
Links importantes
Login


Privacidade | Condições de Utilização